“É importante marcar o nosso tempo” apelou D. Américo em Setúbal

469

O Núcleo de Setúbal da ACEGE – Associação Cristã de Empresários e Gestores – promoveu na última quarta-feira um jantar com empresários da região de Setúbal no Turim Club d’Azeitão Hotel. O Cardeal D. Américo Aguiar foi convidado de honra.

Na sua intervenção, o Bispo de Setúbal agradeceu a disponibilidade de todos os presentes, destacando a dimensão relacional destes encontros. “Nós somos pessoas. Com coisas boas e más, somos um feixe de relações: a família, os amigos, a empresa, os companheiros, tudo aquilo que nós somos”.

“Se pudermos melhorar a nossa performance naquilo que significa a nossa relação com as pessoas, ficamos todos a ganhar”, referiu, destacando a responsabilidade das lideranças empresariais nas relações sociais, nomeadamente com os colaboradores e parceiros.

Apelou aos empresários a que marquem de forma visível os seus princípios e valores cristãos na forma como gerem e lideram as suas empresas, sem vergonha ou medo. “É importante marcar o nosso tempo. E não é marcar contra ninguém mas sermos capazes de nos reconhecermos, darmos valor àquilo que somos, aquilo que nos define, e marcar a nossa atividade com os nossos princípios e valores”.

Fotos: Diocese de Setúbal

Sobre a Doutrina Social da Igreja, a que faz referência as linhas de ação da ACEGE, o prelado explicou sucintamente os quatro pilares: a promoção da dignidade da pessoa humana, o princípio da subsidiariedade, o princípio do bem comum e o princípio da solidariedade/caridade.

Neste seguimento, D. Américo Aguiar elogiou a iniciativa da ACEGE, pedindo a que ajude na construção de oportunidades de encontro, debate de ideias, formação humana e cristã, que considera muito em défice na sociedade de hoje. Considerou que é “muito útil estarmos de vez em quando juntos, para falarmos, nos sentarmos à mesa e nos ouvirmos. Numa mesa, todos pensarem diferente, todos termos o gosto e a liberdade de falarem diferente e acabar todos amigos”.

“Ir ao encontro do coração dos líderes empresariais”

Jorge Líbano Monteiro, secretário-geral da ACEGE, fez uma breve súmula sobre a origem e as linhas de ação da associação que tem cerca de 1200 associados e 14 núcleos.

“Setenta e dois anos depois, a ACEGE continua a cumprir a sua missão, ir ao encontro do coração dos líderes empresariais. A lógica da ACEGE é ajudar os líderes empresariais a viverem melhor, com mais propósito, coerentes com os valores cristãos e humanos. Acreditamos que um líder “tocado” transforma a sua empresa e uma empresa transformada altera a sociedade”, ressaltou.

Inspirar líderes, promover a ética empresarial, humanizar as empresas e respeitar as pessoas são formas de “materializar a doutrina na realidade da empresa”.

Fotos: Diocese de Setúbal

“Tudo isto tem um propósito que é cada um de nós perceber que o seu trabalho é realmente importante: quando vou para o trabalho não estou a fazer algo sem sentido. Estou a cumprir a minha missão como pessoa, como cristão”, salientou.

Por fim, lembrou que “o propósito da ACEGE é ajudar a procurar os sentidos das nossas vidas. Ajudar a relembrar que as empresas são coisas fantásticas e que podem fazer a diferença no mundo e na sociedade em que estamos.”

A ACEGE é “uma comunidade de líderes empresariais cristãos, que procuram pelo seu trabalho e dedicação a criação e distribuição de valor, a promoção da dignidade de cada pessoa e a construção do Bem Comum, tornando-se assim co-participantes na Criação”. Tem como missão “inspirar líderes a viver o Amor e a Verdade no mundo económico e empresarial e com isso a transformar a sociedade”.

JM – Diocese de Setúbal